Expo Revestir 2015

2015-03-11 Expo Revestir 2015

Riqueza de produtos e soluções marcaram a Expo Revestir 2015, feira realizada em São Paulo na semana passada. No segmento específico de revestimentos, há duas vertentes fortes para escolher na hora de renovar a casa. A primeira, de produtos com aspecto rústico, entra com força a madeira e se mantêm as pedras naturais – ou as suas estéticas aplicadas a produtos gerados pela tecnologia.
Esse é o caso da segunda vertente de revestimentos, com variações de aspecto frio e estética elegante em versões foscas ou polidas de porcelanatos. – Reparamos bastante na reprodução super fiel de pedras naturais nos porcelanatos. Com certeza, é uma tendência em função da sustentabilidade – diz Rodolfo Hecher, do escritório Hecher Yllana Arquitetos.
Aumentam as possibilidades de aplicação de produtos, em alguns casos de pisos a paredes e, em outros, até na compartimentação de espaços. – A nossa impressão mais forte é pelo conceito mais natural dos revestimentos e tudo que envolve o forte e embasado conceito por trás disto tudo. Estamos bem conectados com a necessidade de que a casa seja um verdadeiro refúgio do caos diário. Um local de conexão com o que faz feliz cada ser humano. Vimos uma “pegada” mais rústica das peças que muito nos agrada, mudança de superfície – diz o arquiteto Marcelo Minuscoli, do escritório Minuscoli Martini Arquitetos.
O profissional destaca ainda como expressivos os cobogós com cerâmica natural e os revestimentos com relevo tipo clapboard ou no estilo chevron: a facilidade de aplicação e de manutenção dessas peças originais em madeira ganham nova vida em porcelanato.
Vale ressaltar que continua em voga o aspecto do cimento no piso e nas paredes, mas já aparece com polimento, renovando o material. Do mesmo modo, as superfícies porosas que remetem ao tijolo surgem com variações de tons acinzentados em rústico natural.

Uso misto ou monocromia
Estão em alta variações de cinza em mais de um material e/ou tom – um aplicado ao piso e outro, à parede. Do mesmo modo, surgem revestimentos em formatos que predeterminam a aplicação em formato chevron ou espinha-de-peixe para usar em composição com superfícies lisas evitando o peso visual.

Formatos hexagonais, grafismos herdados do mármore, materiais de aspecto poroso e rude – estes, para usar com parcimônia junto aos lisos metais na estrutura do mobiliário do ambiente – são up to date. As composições de mosaicos de ar retrô com cara de patchwork continuam bem-vindas em cozinhas e oferecem alternativas para uma estética democrática.
Apenas para contemplação ou propostas com sentido funcional, as novidades proporcionam fazer projetos personalizados conforme cada arquitetura e décor.

Fonte: Casa e Cia

  • Compartilhe:
  • Pin It