De onde surgem as ideias originais?

3742918775_844595cbda_o

Era uma vez, há 50 anos, um artigo publicado por Isaac Asimov, escritor e bioquímico americano considerado um dos mestres da ficção científica. Um amigo seu, Arthur Obermayer, também cientista, havia convidado ele para participar de um grupo que discutia o processo criativo, mas Asimov desistiu e deixou apenas o artigo como colaboração. Só que o artigo foi esquecido por todo esse tempo até semana passada, quando Obermayer estava limpando seus arquivos. Apesar da “idade”, o artigo continua atual e com conselhos pertinentes sobre como ter ideias originais.(…)

1) Conecte ideias sem relação
Muitas vezes, a melhor forma de ter uma ideia completamente original é relacionar duas coisas que não têm nada a ver uma com a outra. Asimov cita como exemplo a teoria da seleção natural, concebida simultaneamente por Charles Darwin e Alfred Wallace. Os dois viajaram para lugares distantes para observar diferentes espécies de plantas e animais e ambos estavam tentando explicar essa variedade. Os dois não conseguiram achar a explicação até ler o “Ensaio de uma População”, de Malthus. Muitos naturalistas estavam tentando descobrir a mesma coisa, mas só Darwin e Wallace conseguiram e através do mesmo método. Fica claro, então, que não basta dominar um assunto, é preciso fazer a conexão de “a +b”.

2) Vai parecer maluco (azar)
Uma ideia realmente inovadora só vai fazer 100% de sentido depois. De primeira, pode parecer simples loucura. O fato da Terra ser redonda, ou que ela gira em torno do sol e não o contrário, por exemplo, foram considerados insanidade na época. Diz a lenda que Thomas Huxley exclamou um “como não pensei nisso antes?” sobre a seleção natural. Mas só depois do cruzamento de ideias estar completamente explicado, é claro.

3) Autoconfiança na causa
Justamente por quebrar paradigmas, a pessoa que tem a ideia inovadora precisa estar disposta a enfrentar autoridades e senso comum para defendê-la. E isso só é possível com muita autoconfiança. Para Asimov, são os excêntricos. “A pessoa mais inclinada a ter novas ideias é uma pessoa com um bom domínio no assunto de interesse e que não é convencional em seus hábitos”, explica.

4) Sozinho pode ser melhor às vezes
Criar é constrangedor. Para cada ideia boa que você tem, há centenas de ideias ruins que você não quer que outros descubram que você pensou. Por isso, a presença de outras pessoas pode inibir o processo de criação. É claro que criar em grupo pode ser válido porque duas pessoas duplicam as ideias uma da outra. Mas só será uma experiência positiva se houver um ambiente de liberdade, sem julgamentos.

5) Culpa só atrapalha
Para Asimov, o pesadelo da criação é o sentimento de culpa. Sentir-se culpado por ganhar dinheiro para ter boas ideias sem ter ideias realmente boas é o maior inibidor da verdadeira criatividade. O senso de responsabilidade atrapalha tudo. “As melhores ideias da história vieram de pessoas que não eram pagas para ter boas ideias, mas para dar aulas, lidar com burocracias ou não eram pagos de forma alguma. A melhores ideias surgiram como questões secundárias”.

Fonte: Revista Galileu

  • Compartilhe:
  • Pin It